Sessão da Alep é transferida para Ópera de Arame; ruas estão bloqueadas na região

65

O trânsito esta fechado na Rua João Gava, entre Mateus Leme e Nilo Peçanha. A rua dá acesso à Ópera de Arame, para onde será transferida a sessão da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) desta tarde de quarta-feira, 4, e ocorrerá a votação da proposta da reforma da previdência estadual. De acordo com a Secretaria de Trânsito (Setran), a opção parta os motoristas é a Rua Nilo Peçanha. As linhas de ônibus Interbairros II, Turismo e Mateus Leme sofrem desvios.

A confirmação da transferência de sessão de votação para a Ópera de Arame foi feita pelo presidente da Alep, o deputado Ademar Traiano (PSDB).  Segundo Traiano, a sessão será à tarde, no horário regulamentar das sessões da Alep. “A mudança de local foi para evitar novos confrontos e para que a votação ocorra em um ambiente de  tranquilidade”, afirmou. A sessão será fechada. Apenas os deputados e jornalistas terão acesso ao local de votação, segundo as informações da assessoria da Alep.

O protesto de servidores contra a proposta de reforma da previdência estadual acabou nesta terça-feira,3, com a invasão e ocupação da Alep pelos manifestantes.  E, para garantir a votação, deste o início da noite desta terça-feira os policiais militares estão bloqueiando as ruas de acesso da região. À noite, a Justiça determinou a reintegração de posse da Alep, ou seja, a desocupação do espaço, mas não houve a desmobilização do aparato policial na região da Ópera de Arame, que fica no bairro Pilarzinho, em Curitiba.

Segundo a PM, 800 policiais e 60 viaturas estão nas imediações da Ópera de Arame.

Invasão

Inconformados com o fato do presidente da Casa, deputado Ademar Traiano (PSDB), em só autorizar a entrada de 250 pessoas nas galerias do plenário para acompanhar a sessão, eles entraram em confronto com policiais militares do Batalhão de Choque, que isolaram a sede do Legislativo na tentativa de impedir o acesso dos manifestantes. Eles prometem não desocupar a Casa enquanto o projeto não for retirado de pauta.  Mas, na noite desta terça, 3, a Justiça concedeu liminar determinando a desocupação da Assembleia Legislativa pelos servidores públicos.

Traiano havia dito que a Procuradoria da Casa entraria na Jusitça para que o plenário da Casa seja desocupado pelos manifestantes contrários à reforma da previdência estadual. Segundo a juíza Rafaela Mari Turra, que concedeu a liminar, a desocupação pode inclusive usar a força policial, desde que não haja abusos. A multa para o descumprimento da ordem foi estabelecida em R$ 2 mil diários.

(Bem Paraná)